Home / Brasil / Submisso, Bolsonaro ainda não decidiu nem mesmo se irá telefonar para Trump
Últimas Notícias

Submisso, Bolsonaro ainda não decidiu nem mesmo se irá telefonar para Trump

Compartilhe agora

Mesmo com o aço brasileiro sobretaxado pelos Estados Unidos, Jair Bolsonaro não decidiu se irá defender os interesses nacionais. O motivo para isso é o novo enquadramento geopolítico do Brasil após o golpe de 2016, que fez do país uma espécie de satélite de Washintgon, sem qualquer soberania

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro disse que vai aguardar as gestões que o ministro da Economia, Paulo Guedes, está fazendo junto às autoridades dos Estados Unidos para então decidir se telefonará para o presidente dos EUA, Donald Trump, após ele anunciar no Twitter nesta segunda-feira que elevará tarifas sobre o aço e o alumínio que o Brasil vende ao país.

“Paulo Guedes está entrando em contato com o governo americano, com seus correspondentes, para tratar deste assunto. Em última análise… eu ligarei para o presidente Trump”, disse Bolsonaro em entrevista à TV Record.

“Sabemos que tem eleições ano que vem, isso faz parte da sua estratégia política, mas somos um grande parceiro. Acreditamos que dá para solucionar essa questão”, acrescentou o presidente, referindo-se à eleição presidencial de 2020 nos Estados Unidos, quando Trump buscará a reeleição.

Mais cedo, o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, já havia dito que Bolsonaro vai avaliar a conveniência de telefonar para Trump.

Segundo o porta-voz, Bolsonaro determinou aos ministérios da Economia, das Relações Exteriores e da Agricultura que adotem medidas necessárias a fim de trazer uma solução para o assunto “que atenda os interesses dos dois países”.

“Não temos a profundidade devida para tomarmos uma solução de pronto”, disse Rêgo Barros, ao destacar ser “óbvio” que o presidente acompanha o tema com “muito interesse” por ser fator importante para a balança comercial brasileira.

Durante o briefing à imprensa no Palácio do Planalto, o porta-voz disse que seria “intempestivo” da parte de Bolsonaro, ainda sem ter conhecimento de todos os dados, de realizar uma ligação para Trump para discutir a questão da sobretaxa dos minérios.

Ainda assim, segundo Rêgo Barros, Bolsonaro entende que a medida tomada pelos Estados é “unilateral”, mas ele tem a oportunidade de falar direto com o presidente dos Estados Unidos.

Por ora, repetindo discurso anterior de outras autoridades brasileiras, o porta-voz disse que a conversa sobre o tema está em nível técnico. Ele exemplificou que se deve falar sobre a valorização ou sobrevalorização do real frente ao dólar.

Trump justificou a retomada da taxação de aço e alumínio do Brasil e da Argentina pelo fato de, segundo ele, os dois países estarem promovendo uma “forte desvalorização” de suas moedas.


Compartilhe agora

Notícias Relacionadas

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*