Prefeito Hildon é motivo de chacota histórica e terá que se retratar publicamente para não responder judicialmente

Compartilhe agora

Hildon Chaves: Se correr o bicho pega, se ficar…

364 – A queda de braço com os procuradores do Município de Porto Velho após a ´barrigada´ sobre o factóide do esquema na folha de pagamento vai trazer muita dor de cabeça para Hildon Chaves.

A associação Municipal dos Procuradores requereu hoje a listagem de todos os que estão na suposta listas dos supersalários da Prefeitura e que teria sido entregue ao MP na manhã de ontem 10.06.

Os representantes das classes ofendidas por Chaves pediram a cabeça dos três ´conselheiros´ na manhã de hoje aos representantes do prefeito Hildon Chaves que estiveram na reunião “secreta” da Associação dos Procuradores do Município. Da reunião participaram Fabrício Jurado (DEM), secretário-geral de Governo e seu adjunto, Devanildo Santana.

É claro que Hildon não vai entregar o documento porque não vai produzir provas contra si e não passar por mais um vexame de ver sua pífia peça acusatória ser divulgada na Internet. Materializar sua incompetência não está em seus planos. Seria o mesmo que cometer suicídio “político”. Aliás, mesmo que não entregue o documento, Hildon já é um político com data de validade.

Associação dos procuradores do Município de Porto Velho enquadra Hildon Chaves e solicita cópia da denúncia no prazo de 48 horas


Os procuradores, controladores, fiscais e demais técnicos não irão deixar barato e estão com sangue nos olhos. Hoje pela manhã, uma reunião na sede da Associação deixou claro que caso Hildon não queira enfrentar as barras do tribunal, ele terá que fazer um desagravo público em uma coletiva à imprensa, isentando os procuradores e que retire a queixa. Caso contrário, Hildon correrá o risco de inviabilizar sua administração.

Jhonatan Pacheco foi um dos responsáveis em orientar Hildon a fazer a denúncia infundada.

Três possíveis personagens foram apontados por procuradores como possíveis autores dessa ´barrigada´ e que induziram Hildon Chaves ao erro, segundo apurou o Portal Brasil364. O secretário-adjunto da Semdestur e sobrinho da primeira-dama Ieda Chaves, Jonathan Pacheco, o superintendente de TI, Saulo Nascimento e Basílio Leandro, atual presidente do IPAM.

Ou seja, Hildon irá pagar o preço de seu abuso de poder político. Se o prefeito vier a público se desculpar, ele será execrado publicamente, se insistir no erro e vai ser alvo dos procuradores. Não resta dúvida alguma sobre isso. Ao atribuir aos procuradores e demais servidores crime que não ocorreu, ele cometeu crime. E isso é passível de cassação. Hildon agora também está sob o Legislativo que pode instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito “CPI”.

Infelizmente, a Câmara Municipal não parece muito interessada em abrir a CPI. Há muitos cargos em jogo dos quais alguns vereadores não estão dispostos a perder, principalmente há um ano das convenções das eleição estaduais e federal.

Ficou nítido que Hildon não confia em seu secretariado, pois caso confiasse, teria falado sobre o assunto e, na hora, teria sido demovido dessa ideia. Deu no que deu.

Na próxima semana, a novela mexicana contínua. Já há vereador dizendo que irá requerer a instauração de uma CPI para apurar o “escândalo da folha fantasma” dos Marajás de Hildon Chaves. Isso será assunto para a próxima resenha.

Fonte: Brasil364


Compartilhe agora