Home / Brasil / Maioria dos procuradores do MPF assina manifesto contra Aras, após Bolsonaro prometer vaga no STF
Últimas Notícias

Maioria dos procuradores do MPF assina manifesto contra Aras, após Bolsonaro prometer vaga no STF

Compartilhe agora

A declaração de Jair Bolsonaro nesta quinta-feira, 28, em sua live semanal, que daria ao procurador-geral da República, Augusto Aras, para o Supremo Tribunal Federal (STF) uma terceira vaga durante seu governo piorou a relação de Aras com procuradores do Ministério Público Federal.

Aras já vinha sendo alvo de críticas desde o início de sua bgestão, pelo fato de não ter sido escolhido entre a lista tríplice eleita pela categoria. Os procuradores defendem a aprovação de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), pelo Congresso Nacional, que obriga a escolha do PGR obedeça a lista tríplice da categoria – o que Bolsonaro ignorou.

Segundo o jornalista Ancelmo Gois, do Globo, até o início da tarde desta sexta-feira, 29, 579 procuradores incluíram suas assinaturas ao manifesto. O número equivale a mais da metade de toda a carreira de procuradores do Ministério Público Federal, já que o órgão conta hoje com 1.154 procuradores ativos. A previsão é de que o posicionamento conte com o apoio de mais de 600 procuradores até o final da sexta-feira.

Veja o trecho de abertura do abaixo-assinado:

A Constituição da República reservou ao Ministério Público Federal (MPF) um papel singular na defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis. Para a concretização da missão institucional, a independência é uma garantia fundamental, cuja necessidade é reconhecida pela Constituição.

Com a finalidade de garantir à Procuradoria-Geral da República a efetiva independência indispensável ao exercício da missão constitucional do MPF, é necessário fazer um debate amplo, público e aberto sobre a institucionalização, mediante inclusão no texto constitucional, da regra de que o(a) Procurador(a)-Geral da República seja escolhido pelo(a) Presidente da República com base em lista tríplice escolhida pelos membros da instituição, a exemplo do que acontece com o(a) Procurador(a)-Geral de Justiça no Distrito Federal e nos 26 (vinte e seis) estados da Federação.

Fonte: Brasil247


Compartilhe agora

Notícias Relacionadas

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*