PolíticaRondônia

ELEIÇÕES 2022: Sindicalista Célia Campos se afasta da Presidência do Sindsaúde-RO

Compartilhe agora

A sindicalista Célia Campos se licenciou do cargo de Presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado de Rondônia (Sindsaúde) para disputar uma vaga como pré-candidata a deputada estadual. Célia Campos pretende assumir mais um desafio em nome da categoria em busca de uma maior representatividade política para os servidores da saúde em Rondônia.


Foi justamente a forte atuação política do sindicato que garantiu aos servidores da saúde, em 2021, uma das suas maiores vitórias da categoria dos últimos anos: a aprovação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCR), após 20 anos de insucessos e brigas na Justiça. O PCCR só foi aprovado após a intervenção política da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Rondônia que mediou a negociação com o Sindsaúde e o Governador Marcos Rocha.
“É bom que fique bem claro que nessas duas décadas Rondônia teve quatro governadores, sendo um deles, médico e outro sindicalista com grande experiência na luta de classes. Nenhum, porém, teve a coragem de aprovar o PCCR do servidor da saúde. Coube ao Coronel Marcos Rocha, um militar sem qualquer histórico sindical fazer a diferença. Isso vai ficar na história do funcionalismo público rondoniense”, ressaltou Célia Campos.
Apesar dos avanços significativos alcançados pelo sindicato é preciso buscar sempre o apoio de quem tem o poder para decidir, ou de quem tem força política para buscar soluções. O Sindsaúde tem atuado no limite de suas condições políticas e poderá muito mais com uma representatividade no Parlamento. Faz parte do jogo da Democracia a eleição. A cada quatro anos sempre há uma alternativa de mudança. É pensando nessa mudança para a categoria que Célia se jogou no desafio político.
O Sindsaúde continua sendo um dos maiores sindicatos do Estado com forte atuação em todos os municípios e representatividade em todos os municípios rondonienses, através de seus delegados sindicais. Atualmente, o sindicato passa por profundas mudanças político-administrativo-financeiras e, obrigatoriamente, tem que buscar o fortalecimento de suas ações também na esfera política, onde tudo se decide. “Não há como manter-se grande, pensando pequeno”, avalia Célia Campos.
Apesar do licenciamento da presidente, o sindicato está mantendo sua bandeira de lutas nos municípios, participando, por exemplo, das discussões envolvendo o pagamento de insalubridade pelas prefeituras, transposição dos servidores, ações judiciais, dentre outras pautas específicas de cada classe, Previdência Social, e desmonte da CLT (Reforma Trabalhista). A atuação do Sindsaúde tem sido vigilante e diária com relação a todos esses temas de grande importância para o servidor.
Atualmente, o Sindsaúde tem lutado pela revisão dos PCCR´s nos municípios e na elaboração do plano nas cidades que ainda não possuem plano de carreira específico.

Fonte: Assessoria


Compartilhe agora