ECOCARDIOGRAMA: Projeto da vereadora Ellis Regina prevê exames gratuitos para detecção precoce de cardiopatia

Compartilhe agora

A Câmara Municipal de Porto Velho aprovou em dois turnos nesta terça-feira 14.09, o Projeto de Lei nº 1492/2021, de autoria da vereadora Ellis Regina (PODE), que autoriza o município a realizar exame de ecocardiograma fetal durante o pré-natal e em bebês de até 2 anos de idade, em maternidades e hospitais de Porto Velho.


Segundo a vereadora, o Ecofetal, como é conhecido, é uma indicação da Sociedade Brasileira de Cardiologia como parte da rotina dos pré-natais para detectar cardiopatias congênitas, que afetam um em cada cem bebês. É um exame que pode preservar muitas vidas e reduzir complicações após o nascimento da criança.
“Tivemos há pouco tempo a morte de uma recém-nascido, filho de um amigo servidor, por complicações cardiopatas. Imaginem agora que dezenas de criança estão nascendo mensalmente em nossa maternidade, e que algumas delas poderão morrer após nascer ou com poucos anos de vida porque não fizeram um simples exame”, disse a vereadora.
Pela Lei aprovada hoje, e que vai à sanção pelo Executivo Municipal, o exame será realizado na própria unidade hospitalar por um profissional graduado em cardiologia e as famílias do recém-nascido e bebês receberão, por ocasião da alta médica, relatório dos exames e dos procedimentos realizados, contendo esclarecimentos e orientação quanto á conduta a ser adotada.
O que é ecocardiograma fetal?
Ecocardiograma fetal é um exame de imagem que utiliza ondas sonoras de alta frequência para avaliar a saúde do coração do bebê, ainda no útero materno.
Por meio de registros dos músculos e válvulas cardíacas, o teste mostra o tamanho e o desenvolvimento do coração do feto.
O exame também revela detalhes sobre o seu funcionamento, como a velocidade do fluxo sanguíneo dentro das cavidades do músculo cardíaco.
Quando deve ser feito o ecocardiograma fetal?
O exame pode ser realizado ainda no primeiro trimestre de gravidez.
No entanto, costuma ser recomendado entre 18ª e a 28ª semana de gestação, quando é possível visualizar melhor as alterações estruturais ou funcionais do coração do feto.
Quando a gravidez é considerada de alto risco, o obstetra pode indicar o teste a partir das 14 semanas.

Fonte: Assessoria


Compartilhe agora