A CULPA É DE QUEM? – No dia 1º de abril Marcelo Thomé garantiu que havia pesquisado e investigado empresa acusada de golpe das vacinas

Compartilhe agora

364 – Além do prefeito Hildon Chaves, um nome da gestão municipal estava à frente da negociação das 400 mil doses do imunizante contra o COVID-1 9 da AstraZeneca para Porto Velho que acabou sendo desmascarada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro como uma tentativa de golpe milionário praticado por um escritório de importação.

Trata-se do presidente da Agência de Desenvolvimento de Porto Velho, Marcelo Thomé, que no dia 1º de abril havia anunciado em entrevistas aos veículos de imprensa e através da assessoria oficial da prefeitura, o envio de uma carta de crédito para o fornecedor da vacina.
Marcelo Tomé foi o articulador da suposta compra das vacinas a mando de Hildon Chaves

Sem a menor noção de que estava sendo alvo de um golpe, Thomé afirmou que a negociação estava sendo realizada por uma importadora representante de uma empresa dos Estados Unidos que possuía doses à venda, o que era mentira, de acordo com a Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Thomé ainda garantiu aos cidadãos de Porto Velho que havia realizado todos os procedimentos necessários para verificação da idoneidade da empresa, garantindo assim uma compra segura.

“Foi um processo de pesquisa e investigação para garantir que os fornecedores são sérios e tem de fato a possibilidade de fazer a entrega. Uma série de dispositivos contratuais oferecem segurança à aquisição”, disse Marcelo Thomé.

Após 21 dias desse anúncio essa empresa foi desmascarada e exposta para todo o país como um grupo que tentou aplicar um golpe de mais de R$ 200 milhões em municípios espalhados por todo o país.

O fato é que o presidente da Agência de Desenvolvimento precisa ser chamado pelos vereadores para esclarecer que pesquisa e investigação foi essa que não trouxe qualquer indício de que a negociação seria um trambique.

Para receber as doses foi desembolsado dos cofres da prefeitura recursos para ampliar a câmara fria municipal, além da confecção de camisetas que estampariam o orgulho da negociação e agora representa um vexame que não deve ser esquecido tão cedo .

A sensação deixada por Marcelo Thomé é de amadorismo e incompetência, que levaram à enorme frustração à população de Porto Velho. Se errou, Thomé deve ser responsabilizado, já que houveram gastos com essa negociação.

Fonte: Brasil364


Compartilhe agora