A conta macabra de Bolsonaro e Pazuello: já são 51 os mortos por asfixia no Amazonas

Compartilhe agora

Pelo menos 51 pessoas morreram por falta de oxigênio no estado do Amazonas até a noite desta terça-feira (18), de acordo com levantamento feito por Guilherme Amado, na revista Época, junto ao Ministério Público Estadual e Federal. A falta de oxigênio aconteceu por incúria do governo Bolsonaro, que ignorou todas as advertências recebidas sobre o fim dos estoques no oxigênio do Estado.

De acordo com o MPF, somente na capital do estado, Manaus, foram confirmadas 28 mortes por asfixia. No interior, outras 23 pessoas morreram pela mesma causa. Os números podem ser maiores porque apenas cinco dos 11 ofícios foram respondidos pelas unidades de saúde, até a noite desta terça-feira.

Seguindo determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski, a Advocacia-Geral da União (AGU) enviou um ofício à Corte apontando que o governo Jair Bolsonaro sabia do iminente colapso do sistema de saúde no Amazonas 10 dias antes da crise.

De acordo com o procurador da República Igor Spindola, a causa principal para que o oxigênio faltasse para pacientes de Covid-19 em Manaus na última semana foi a interrupção do transporte deste insumo pela Força Aérea Brasileira (FAB).

Fonte: Brasil247


Compartilhe agora

Comentários